segunda-feira, 31 de agosto de 2009

SLOW MOVEMENT (O MOVIMENTO DEVAGAR)


Poderíamos dizer que "a pressa é inimiga da perfeição" e ponto final, não se fala mais nisto. No entanto, vale a pena refletirmos sobre o asunto


Introdução:

A idéia de fazer um estudo sobre o movimento mundial de oposição ao culto à velocidade (Slow Movement) surgiu em uma reunião da comissão científica do I Congresso da AMEMG, quando discutíamos sobre seu tema central: Endemias e epidemias do séc. XXI.

Ficou claro que o ritmo acelerado da vida (hábitos) observado nos dias de hoje e suas conseqüências na qualidade de vida, nos relacionamentos e na saúde das pessoas, preencheria “critérios” para ser abordado neste congresso.


Histórico: (o movimento nasceu na década de 80, mas há raízes profundas nos séculos passados)

Séc. XVIII – em plena Revolução Industrial as pessoas já buscavam uma maneira de desafiar ou pelo menos conter o aceleramento do ritmo da vida. Já se falava que as máquinas estavam tornando a vida rápida demais, menos humana. Surgiram reações nos sindicatos que reivindicavam redução da carga horária de trabalho. Nas artes, os artistas plásticos, escritores e músicos românticos (Europa 1770) se mobilizaram contra a moderna cultura da agitação.

Séc. XIX – por volta de 1881, pela 1a vez médicos psiquiatras começaram a chamar a atenção para os efeitos nocivos da velocidade na saúde mental das pessoas.

1982 – o médico americano Larry Dossey cunhou a expressão “Doença do Tempo”, conseqüência do culto à velocidade.

1986 – surgimento do Slow Food, movimento contra a invasão do Fast Food (Mc Donalds) na Itália, liderado por Carlo Petrini, jornalista italiano que temia pela cultura tradicional ameaçada pela invasão das grandes corporações. O S.F. tenta preservar as receitas tradicionais, ajudando o pequeno produtor e defendendo espécies em extinção (biodiversidade). O movimento começou como uma reação local ao Fast Food e se transformou em uma reação mundial ao culto à velocidade – SLOW MOVEMENT.


Os custos da pressa: (aqui veremos a patologia – Doença do tempo com os seus sintomas, motivos para reduzir a velocidade )

Algumas coisas não podem(impossível) nem devem(resultado ruim) ser apressadas. Elas levam tempo, precisam da lentidão. Quando isto não acontece, pagamos um preço.

No trabalho: o excesso de horas e a pressa no trabalho nos torna doentes, improdutivos, sujeitos a erros e infelizes. Consultórios médicos estão cheios de problemas causados pelo estresse: insônia, hipertensão, enxaqueca, distúrbios gastro-intestinais,infarto agudo do miocárdio. No Japão existe uma palavra para designar “morte por excesso de trabalho”: Karoshi. Estas mortes ocorrem por infarto agudo do miocárdio em jovens que trabalham em excesso.

Qual o mecanismo do adoecimento pelos excessos no trabalho?

Excessos no trabalho

> pouco tempo para alimentação > fast food*

> at. físicas > sedentarismo

> aumenta o consumo de etílicos

> uso de estimulantes(anfetaminas, cocaína)

para evitar o sono > comprometimento dos

sistemas cardiovasculares, nervoso central e

imunológico.

> privação de sono + pressa = ac. automobilístico

(½ dos acidentes nos EUA )

======================================

> obesidade, drogadição, cardiopatias, t.ansiosos

e depressivos, estresse, infecções,acidentes.....

(*países + rápidos são os mais gordos: Japão,EUA e Inglaterra)

No lazer: nossa pressa e impaciência tornam o lazer perigosoàex: a prática de esportes rápida demais leva a ferimentos.

Nos relacionamentos afetivos: uma vida de correria acaba tornando os relacionamentos superficiais. É preciso tempo para fazer prosperar as coisas que fazem a vida valer a pena tais como a família, a amizade e a comunidade. Ex.:com o corre-corre em muitas residências a comunicação (recurso essencial danificado) passa a ser feita através de adesivos de geladeira; na Inglaterra, pais que trabalham fora passam duas vezes mais tempo cuidando dos e-mails do que brincando com os filhos; no Japão há centros de cuidados infantis de 24h.

Para as crianças: elas acabam incorporando o ritmo acelerado dos adultos. Uma charge de um jornal britânico ilustrou esta situação mostrando duas crianças consultando as suas agendas para marcar uma hora de brincar!

Por fim pode-se dizer que estamos vivendo a “Era da fúria”: a rapidez nos torna impacientes e qualquer pessoa ou coisa que se interponha em nosso caminho, que nos faça moderar o ritmo, passa a ser um inimigo. Então a menor contrariedade e o mais leve atraso deixam roxas de fúria pessoas que poderiam ser consideradas normais. Ex.: compras, trânsito, trabalho,relacionamentos.

* já sabemos que a pressa tem nos custado a própria saúde e nos tornado desrespeitosos com os nossos semelhantes.


Por que estamos sempre com pressa? (etiologia)

A causa pode ser encontrada na nossa relação com o tempo e com o dinheiro. Desenvolvemos uma psicologia íntima da velocidade, da economia do tempo e da maximização da eficiência.

Isto começou na Rev. Industrial, com o início da era da máquina. Até então ninguém era capaz de mover-se mais rapidamente que o galope de um cavalo ou um veleiro à plena força do vento. De repente pessoas podiam viajar grandes distâncias com velocidade inédita...

Podemos ampliar a reflexão acerca das possíveis causas de toda esta correria: - pressão para evoluir; sensação de atraso.


A decadência da causa – o contrasenso

No entanto, já está provado que a própria economia sofre com a pressa.

O capitalismo moderno cria riqueza, mas ao custo de devorar recursos naturais com mais rapidez do que a natureza é capaz de substituí-los (exs: abuso da pesca e desmatamento).

Há também uma falta de tempo para a realização de testes de qualidade, o que nos últimos tempos tem levado a indústria de informática a lançar prematuramente seus produtos no mercado, ocasionando uma epidemia de defeitos que anualmente custa bilhões de dólares às empresas. Tudo isto sem contar com o custo humano com as doenças, etc.

Por sua própria natureza, o espírito é devagar (ritmo natural). Por mais que tentamos, não podemos acelerar a iluminação.


“O tratamento”:

E neste contexto, em várias esferas de ação humana que se possa imaginar, um número cada vez maior de pessoas tem optado por pisar no freio. Estão abrindo espaço para a lentidão.à Slow Movement.

O paradoxo: “Devagar” nem sempre quer dizer devagar. Desempenhar uma tarefa “Devagar” freqüentemente produz resultados mais rápidos. Também é possível fazer as coisas com rapidez, mas mantendo “Devagar” o estado de espírito.

A filosofia do Movimento Devagar pode ser resumida em uma palavra: equilíbrio.

O manifesto fundado pelo italiano Carlo Petrini, e suas repercussões propõe uma redução da velocidade em todas as suas formas. Essa filosofia muito simples vem conquistando terreno em todo o mundo, nos locais de trabalho, na prática de atividades físicas, na medicina e cuidados com a saúde, no lazer e até em construções de cidades!

No trabalho: Milhões de pessoas lutam por melhor equilíbrio entre vida e trabalho. Segundo a Organização Internacional do Trabalho, os trabalhadores da França, Bélgica e Noruega (países que optaram por uma redução de carga horária de trabalho) tem maior produtividade horária que os americanos, e, os britânicos que trabalham mais tempo que os europeus ostentam um dos mais baixos índices de produtividade do continente.

Nos exercícios físicos: tai chi e ioga.

No pensar: o cérebro faz maravilhas quando desacelera àaumenta a concentração e a criatividade. Darwin era considerado um pensador lento e Einstein ficou famoso por ficar horas e horas olhando para o infinito.

Na medicina: homeopatia e fitoterapia tratando o corpo de maneira holística e suave.

Nas cidades: reorganização dos espaços urbanos para fazer as pessoas andarem mais e dirigirem menos.


O Slow Movement no mundo:

> Itália { Slow Food – comer o que cultivamos, com calma e saboreando.

> Itália { Città Slow – cidades do bem viver. Mais de 60 na Itália e 20 em Portugal e Inglaterra.

> Europa { Sociedade Européia para Desaceleração do Tempo – os desaceleradores usam a palavra alemã eigen zeit (tempo próprio) para resumir as suas convicções: “Todo ser vivo, todo acontecimento, todo processo e todo objeto tem o seu próprio ritmo e seu próprio andamento”.

> Japão { Japan’s Sloth Club (Clube da Preguiça no Japão)-Centenas de japoneses se filiaram ao clube que preconiza um estilo de vida menos apressado. A admiração pelo estilo de vida mais relaxado da Europa Mediterrânea está tão disseminada que já houve quem falasse de “latinização do povo japonês”.

> Austrália { Simplicidade Voluntária – nos últimos 12 anos, 2 milhões de australianos decidiram ganhar menos e consumir menos, optando por uma vida mais simples e com mais qualidade.

É importante lembrar que os ativistas do Movimento não são “novo hippies”, são opositores moderados da atual globalização e não estão empenhados em “destruir” o sistema capitalista, mas dota-lo de uma face mais humana. Não há repulsa pelo progresso, e sim, a vontade de preservar as tradições arquitetônicas, artesanais e culinárias próprias de cada região.


Princípios essenciais da filosofia devagar:

1- Trabalhe menos.

2- Coma devagar.

3- Medite.

4- Passe mais tempo com a família e com os amigos.

5- Cultive hobbies.


Qual a relação religiosidade//Movimento Devagar ?

A religiosidade é um recurso para se aderir ao movimento. Hoje em dia, muitas pessoas buscam o refúgio da velocidade no regaço seguro da espiritualidade.

Toda religião ensina a necessidade de diminuir o ritmo para entrar em contato com o eu, com o próximo e com Deus.


Salmo 46: “Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus” (ao nos asserenarmos, criamos um ambiente propício para prece)



Em “O Livro dos Espíritos” temos como resposta à pergunta 682 : “...o repouso repara as forças do corpo e é também necessário para dar um pouco mais de liberdade à inteligência , para que se eleve acima da matéria.” (o Devagar é um recurso de aprimoramento da inteligência e portanto um recurso evolutivo)

Em “A Gênese”, cap.VI, o espírito Galileu explica à Kardec que “...o tempo é uma medida relativa de sucessão de coisas transitórias...” e que para a eternidade “tudo é o presente”.Eis aqui um convite para nos preocuparmos menos com o tempo e suas coisas transitórias e mais com a eternidade, vivendo o presente sem muita correria.


“E o que tens ajuntado para quem será?” – Jesus. (Lucas, 12:20) Emmanuel (Caminho,Verdade e Vida) comenta com sabedoria este trecho do Evangelho, lembrando que em todos os agrupamentos humanos há um espírito de lucro e palpita a preocupação de ganhar.

Nesse sentido, a maioria das criaturas converte a marcha evolutiva em corrida inquietante! E após o desencarne, ao examinar a própria bagagem, não encontra valores da alma!


Trabalho apresentado em reunião pública na sede da AMEMG, Belo Horizonte, MG. (Carlos Eduardo Sobreira Maciel - carlos.amemg@hotmail.com )



endereço: www.amemg.com.br
imagem:
growing-disciples.org


5 comentários:

Valerie disse...

Bebi cada parágrafo deste post, U.Man.
Eu estava precisando de algo assim mesmo. Funcionou como um puxão de orelhas, percebi que devo dar uma desacelerada na minha vida e que não tenho que correr atrás do tempo, e sim andar junto com ele.

Tanta coisa boa pode estar acontecendo e na minha correira, passa despercebida.

Um beijinho carinhoso e obrigada!

EDINEA disse...

Hoje estou em pleno slow movement.
Quis chegar mais atrasada no trabalho.
Vim aqui colocar umas conversas em dia.
E descobri este blog maravilhoso.
É possível cadastrar para receber os post?
Carinho,
Edinéa

Unknown man disse...

Bom dia, Edinea!!!
Obrigado pelo elogio.
Quanto a vc receber os posts, se quiser, é só me passar seu e-mail que a cada post lançado, vc receberá automaticamente.

Mais uma vez, obrigado!!!

Uman

JR disse...

Nossa UKO..adorei esta ultima matéria ,sabe que eu sempre tive minhas dúvidas igualadas as suas,mas sempre fiquei na minha e nunca discuti com ninguem ,para não me chamarem de louca,pagã ,ou sabe-se lá o que ,embora eu adore este nosso avatar.
Mas como já passei tmb pelo busdismo ,sempre meio balancei ,mas fiquei na minha .
Agora vc mexeu com algo que estava guardado a 7 chaves na minha memória e não deu outra.
Bem como meu tempo é pouco ,sequestrei tuas matérias ,pra ler melhor amanhã no bus e discutir com o grupo de estudos.
Sou sua fã e quando entro no teu espaço ,já fico com um documento aberto para copiar .
Dá uma chegada no meu blog e pegue um selo pra voce em nome do dia 9 9 9.
Abraços

Unknown man disse...

JR
Obrigado pelo carinho. Fico feliz por gostar dos posts.

Um superbeijo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails