quarta-feira, 4 de agosto de 2010

ANENCEFALIA - NÃO MATARÁS


Anencefalia - ausência de cérebro do bebê na gravidez - o que fazer?
O que você faria se durante a gravidez soubesse que vai ter um filho com retardamento mental ou com qualquer outra anomalia física ou psíquica? Faria aborto eugênico?
Aborto eugênico ou eugenésico é aquele praticado para evitar o nascimento de criança portadora de anomalia física ou psíquica. Seu significado etimológico é bom nascimento [do grego eu (bem, bom, belo) + gênesis (geração, produção, criação)].
Magalhães Noronha asseverou que esta espécie de abortamento acontece “quando há sério risco e grave perigo para o filho, seja em virtude de predisposição hereditária, seja por doenças da mãe, durante a gravidez, seja ainda por efeito de drogas por ela tomadas durante esse período, tudo podendo acarretar para aquele enfermidades psíquicas, corporais, deformidades, etc.” Entre essas drogas, ele menciona a talidomida que, quando era ingerida pela gestante, ocasionava o nascimento de crianças disformes, em regra sem os membros superiores ou inferiores. Na sua edição de julho de 1994, o jornal Folha Espírita, transcrevendo notícia da Folha de S. Paulo e de outras fontes, informa que “a incidência de fetos mal formados é de 3 a 4% da população mundial.” Há dois grupos delas: as estruturais e as funcionais.
“Nos casos de anencefalia (ausência de cérebro) estamos diante de uma malformação estrutural grave; existem outras menos comprometedoras, como aquelas de ausência de dedos, por exemplo”. Diz ainda a notícia que nas malformações funcionais ocorrem vários tipos de retardamento mental, e que “nos casos de Síndrome de Down (mongolismo) há fatores estruturais e funcionais envolvidos. Na síndrome de Edward existe malformação múltipla e, assim como nos de anencefalia, os bebês morrem logo após o parto. Todas essas anomalias podem ser detectadas por exames genéticos e ultra-sonografia. E suas causas podem ser genéticas, quando os defeitos estão nos genes; cromossômicas, quando há alteração do número de cromossomos; e ambientais, ocasionadas por drogas, injeções, radiações, etc.”

Aborto eugênico?

Com o diagnóstico precoce dessas malformações fetais, surge para a gestante e sua família a grave e difícil decisão entre deixar nascer uma criança portadora de deficiência física e/ou psíquica, ou praticar o abortamento eugênico que, diga-se de passagem, no Brasil não é legalmente permitido. Na mesma edição já referida, a Folha Espírita publicou a opinião de médicos famosos, alguns defendendo ardorosamente a realização do aborto eugenésico, chegando mesmo a confessar a prática de abortamentos nas ocorrências de malformação de fetos, naqueles em que não tenham condições de sobreviver.
Um deles declarou: - “Eu sou a favor do direito da mulher de escolher se quer ou não interromper a gravidez”, ressaltando que - “Nós fazemos a interrupção da gravidez, apesar de não ser legal. Eu pessoalmente assumo isso”. Logo adiante, o Dr. Nubor Orlando Facure, em artigo bastante esclarecedor, demonstra com a sua conhecida capacidade profissional e moral os equívocos em que estão incorrendo muitos de seus colegas que defendem a prática do aborto eugenésico.

Opinião Espírita

Uma vez mais, a antiga polêmica sobre a existência da alma humana e o momento de sua criação em relação ao corpo confunde a ciência, a religião e a filosofia tradicionais. Com efeito, os materialistas acham que o homem é um conglomerado de células, cuja vida flui do berço ao túmulo e nada mais; a religião dogmática acha que Deus cria a alma no momento mesmo da concepção ou meses depois desse fenômeno fisiológico; e a filosofia assume a posição correspondente ao idealismo de seus adeptos.
Parece que eles insistem em ignorar a verdade revelada pela Doutrina Espírita, mostrando que o homem não é um corpo de matéria orgânica animada, e sim um espírito eterno, usando ocasionalmente uma aparelhagem psicossomática para a evolução. Desse modo, para o Espiritismo, a malformação do feto está ligada a débitos anteriores da entidade reencarnante, com o prévio conhecimento dos pais no período de erraticidade (intervalo entre as existências corpóreas), ou mesmo durante o sono. Se o aborto eugênico for consagrado, será impossível a esses Espíritos endividados o acerto de suas contas com a lei divina ou natural.
Esse raciocínio não exclui o diagnóstico precoce e o tratamento do feto. Diante desse quadro, em nosso modo de entender, se a gestante de um filho portador de anomalia física e/ou psíquica não alcançar esses avançados progressos da medicina fetal, ou se, mesmo tendo alcançado, a criança nascer portando deficiências, está evidente que estamos diante de débitos anteriores, porque, se assim não fosse, Deus teria falhado no seu atributo de soberana bondade e justiça, permitindo o nascimento de criaturas informes ou monstruosas, enquanto outras nascem com plena saúde e vigor!
Assim, o aborto eugênico ou eugenésico não deve ser praticado em nenhuma circunstância e está correta a justiça humana em não permitir a sua realização, a despeito da pretensão de alguns materialistas de incluí-lo no rol dos abortos que não são criminosos nas reformas dos Códigos Penais do Brasil e do estrangeiro.


Eliseu F. Mota Jr. (**)

Extratos do livro: «O Aborto à Luz do Espiritismo: Não Matarás». Editora Espírita O CLARIM.

(**) Advogado e Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo, e também leciona Direito Penal na Faculdade Municipal de Direito da cidade de Franca - SP

Fonte: Jornal Universo Espírita – ago/2004


12 comentários:

Maria José disse...

Sou radicamente contra o aborto, pois, além dos motivos explicados no post à luz da Doutrina Espírita, somente Deus tem o direito de tirar vidas. Beijos, meu amigo e mais uma vez, parabéns por suas postagens neste e nos outros blogs.

ValériaC disse...

Jorge querido, bem sabemos que todos estes problemas são resgate de débitos anteriores...por mais doloroso que seja, o aborto não será correto...tudo tem um porque... para o espírito que nasce num corpo com deficiências, assim como são aprendizagens para os pais e todos os envolvidos.
Portanto, Aborto, nunca...
Beijos...
Valéria

analice disse...

eu sou um exemplo vivo da coragem e comprometimento, alem do amor que a minha mae teve por mim... ela teve sifilis em estagio grave e segundo os medicos eu nascerei com boa parte dessas anomalias que vce menciou e o engraçado ou melhor misericordia de Deus e mecrecimento dela e talves meu. nao tive nenhuma das coisas que os medicos imaginavam...
e sei hoje porque passei e passo por diversas coisas, entao...
diga nao ao aborto!!!!

Jorge disse...

Minhas amigas Maria José, Valeria e Analice

quem tem uma visão espiritual é contra o aborto.
Divulgar textos como este são de uma valia muito grande, não é?

Anjos, um beijo em cada coração!

Dany Garcia disse...

Queridos amigos , hoje venho aqui, para pedir a colaboração de vocês, nesta corrente de AMOR.
Esta minha amiga,que tem sua foto postada em meu blog, está passando por problemas de saúde graves,está acometida por câncer,está internada na Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, na UTI, em coma,já apresentando sangramentos nasais , peço a todos vocês que me ajudem a orar,ela tem 20 anos e seu nome é Franciane,obrigada queridos amigos e me desculpe, pela postagem generalizada.Que Deus nos abençõe a todos.

Hana disse...

Oiiiii, amor meu, este assunto seu post é fantastico, sabe tenho um casal de amigos, que o diagnostico de bebe tinha chance de nscer com problemas, pq a mãe estava com rubeula, grave, resumindo ele colocaram na mão de Deus e tiveram um aimensa fé, eles não abortaram, e a menina hoje é uma grande advogada, caso veridico de amigos meu. amore meu meu carinho imenso deixo aki tá.
com carinho
Hana

Jorge disse...

Dany,

estamos vibrando muito por ela!

Beijo de luz!!

Jorge disse...

Hana,

que bela notícia! Maravilhoso eles terem confiado em Deus!

Hana, Anjo Amiga, beijo teu coração com muito carinho!!!

Marcia disse...

Temos que ter coragem e fé no nosso pai para enfrentarmos todas as provacoes e expiacoes que a nós vierem; Deus sempre nos dá forcas, e nesse caso especialmente. Sao compromissos que nós mesmos pedimos. Muito bonitos e edificantes os depoimentos de Analice e Hana que poderiam ser lido por outras pessoas.

Jorge disse...

Marcia,
Realmente são depoimentos reais que mexem conosco. Tendo mais compreensão dos "porquês", tudo se torna menos difícil de aceitar.

Um doce beijo, Anjo!!!

Erica disse...

Eu nunca faria um aborto e concordo, por acreditar em Deus, que tudo que acontece nas nossas vidas é determinado por Ele. Mas acredito também que o ser humano tenha o livre arbítrio e, sendo o estado laico, não deveria proibir que cada ser humano siga seu próprio caminho e tome suas escolhas, pois são eles mesmos quem coletarão os resultados dos seus atos. Dizer que concordo com a Lei de Proibir o Aborto, nesses casos, por ser Kardecista é a mesma coisa que dizer acreditar ser certo queimar bruxas na Santa Inquisição por ser Cristã. A cada um cabe a sua própria decisão, escolher o seu próprio destino e se responsabilizar por suas decisões.

Erica disse...

Lembrando que muitas vezes essas mães decidem abortar por pensarem que realmente estão fazendo um bem aos seus filhos. Esse não é um ato de pura maldade, mas envolve um grande sacrifício por parte dos pais. Nesses casos não podemos seguir cegamente o que dizem nos livros, por que tudo é muito mais complexo e cada um tem o direito de acreditar naquilo que lhe é mais conveniente. Cada caso, é um caso, claro, mas não acredito ser certo apoiar uma Lei que leva em conta bases religiosas, já que existem muitas crenças por aí e nós somos só uma delas.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails